Jurista: Não extraditar Battisti é erro diplomático


 

Internacional - 31/12/2010 - 13:47:31

 

Jurista: Não extraditar Battisti é erro diplomático

Jurista: Não extraditar Battisti é erro diplomático

 

Da Redação com Terra

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Na análise do jurista Wálter Maierovitch , Lula não levou em conta

Na análise do jurista Wálter Maierovitch , Lula não levou em conta "aspectos relativos aos direitos humanos".


"O último erro diplomático de Lula na política internacional". Foi assim que o jurista Wálter Maierovitch definiu a decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de não extraditar o ex-ativista Cesare Battisti, acusado de terrorismo pelo governo italiano. Na análise dele, Lula não levou em conta "aspectos relativos aos direitos humanos".

- Você não pode pensar em crime político em nenhuma Corte internacional com o resultado sangue. O que Battisti fez foi um crime comum - argumenta.

Ex-membro do Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), Battisti foi condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos ocorridos na década de 1970. Depois de exilar-se na França por mais de 10 anos, ele fugiu para o Brasil assim que o governo daquele país decidiu pela extradição para a Itália, em 2004.

Para Maierovitch, não há sentido em traçar paralelos entre a luta armada na Itália e a ditadura militar brasileira.

- Aqueles que pegaram em armas na Itália queriam um golpe, porque o País vivia um regime democrático, e o presidente italiano era um socialista (Sandro Pertini) que havia passado alguns anos preso pelo (Benito) Mussolini - explica.

O jurista destaca que a não-extradição de Battisti soa como desrespeito aos familiares das vítimas.

- O presidente da República da Itália, um comunista histórico, recebe todos os anos as famílias das vítimas do terrorismo. Com a decisão, Lula não mostra qualquer respeito por elas.

Maierovitch analisa que o Brasil está se valendo do "arremedo de uma decisão" tomada pela França no caso Marina Petrella (ex-membro das Brigadas Vermelhas).

- Marina era uma terrorista contra o Estado italiano, mas ela estava em estado terminal, com câncer. Então, o governo da França decidiu aplicar o princípio humanitário. Essa não é a situação de Battisti. A Ansa (agência de notícias), em conversa com os advogados de Battisti, disse que ele está em bom estado físico. Na Itália, ele correria risco de vida? Se for isso o que Lula argumentou, o Estado italiano - isso eu já sei através dos advogados - vai ter recurso.

Para Maierovitch, o presidente optou, estrategicamente, por anunciar a decisão no apagar das luzes de 2010.

- Ele já havia tomado a decisão há tempos, mas anunciou só agora para evitar uma repercussão maior. Isso tem uma motivação dúbia. Se fosse uma decisão judicial, caberia um embargo de declaração - conclui.

;

Na análise do jurista Wálter Maierovitch , Lula não levou em conta

Na análise do jurista Wálter Maierovitch , Lula não levou em conta "aspectos relativos aos direitos humanos".

Na análise do jurista Wálter Maierovitch , Lula não levou em conta

Na análise do jurista Wálter Maierovitch , Lula não levou em conta "aspectos relativos aos direitos humanos".

Links
.
.
Vídeo
Turismo SBC


Últimas Notícias



Enem: temas de atualidade são tão importantes quanto conteúdo aprendido em aula


Caetano Veloso processa MBL e Alexandre Frota por ser chamado de pedófilo


Espanha decide destituir presidente da Catalunha e convocar eleição regional


Tropicália 50 anos: A história do movimento que marcou a cultura nacional


Senacon investigará aéreas por dizer que bagagem cobrada baratearia passagens


IGP-M acumula deflação de 1,3% em 12 meses