Ex-ministro José Dirceu pode deixar cadeia por indulto de Natal
SBC


 

Nacional - 27/12/2015 - 21:16:35

 

Ex-ministro José Dirceu pode deixar cadeia por indulto de Natal

 

Da Redação com agências

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Ex-ministro José Dirceu

Ex-ministro José Dirceu


Condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão e preso preventivamente há cinco meses em razão de investigações da Operação Lava-Jato, o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, poderá ser beneficiado com o indulto de Natal. A defesa do petista alega que ele se encaixa nos pré-requisitos previstos no decreto assinado pela presidente Dilma Rousseff (PT) e publicado na edição de quinta-feira do Diário Oficial da União. “Entendo que ele tem direito e vou requerer no momento oportuno”, afirmou o advogado José Luís de Oliveira Lima. O decreto prevê que os beneficiados fiquem livres de cumprir o restante da pena sem qualquer tipo de restrição.

Previsto na Constituição Federal, o indulto a presos só pode ser concedido pelo presidente da República e tradicionalmente ocorre na época do Natal. De acordo com o texto do decreto da presidente Dilma, tem direito ao indulto um condenado a pena privativa de liberdade não superior a oito anos, não substituída por penas restritivas de direitos ou por multa, e não beneficiado com a suspensão condicional da pena até a data de ontem. O condenado precisa ainda ter cumprido um terço da pena, se não for reincidente, ou metade, se reincidente. O decreto concede o direito a perdão da pena mesmo se o condenado responder a outro processo criminal – como é o caso de José Dirceu.

Em agosto, antes de ser preso por um envolvimento no escândalo de pagamento de propina na Petrobras, que culminou na Operação Lava-Jato, o ex-ministro cumpria pena em regime aberto em razão da condenação de sete anos e 11 meses de reclusão no processo do mensalão. Ele havia sido detido em novembro de 2013. Dirceu, no entanto, pode ter o benefício negado por causa dos desdobramentos da Lava-Jato. No mês seguinte à sua prisão, Dirceu virou réu a partir de uma denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF) à Justiça Federal de Curitiba, no Paraná. Em outubro, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao STF a suspensão do direito de Dirceu de cumprir a pena em regime domiciliar pelo mensalão e que voltasse ao regime fechado. Se Dirceu for condenado pela Lava-Jato, o ex-ministro corre o risco de ter questionada uma eventual concessão de indulto.



LISTA 

Também poderão ser beneficiados com o decreto da presidente Dilma os ex-deputados Valdemar Costa Neto, João Paulo Cunha, Pedro Henry e Roberto Jefferson – todos condenados por envolvimento no escândalo do mensalão. O indulto precisa ser requerido à Justiça pelos advogados do preso – no caso do mensalão, ao ministro Luís Roberto Barroso, relator do processo no Supremo. Os presídios devem encaminhar às varas de execuções penais a lista de presos que preenchem os requisitos.

Crime hediondo O decreto prevê ainda que poderão pleitear o indulto presos que tenham paraplegia, tetraplegia ou cegueira, desde que essas condições não sejam anteriores à prática do delito e se comprovem por laudo médico oficial ou por médico designado pela Justiça. Estão no mesmo caso os acometidos de doença grave e permanente que apresentem grave limitação de atividade e restrição de participação ou exijam cuidados contínuos que não possam ser prestados no estabelecimento penal. Não podem receber o benefício do indulto os condenados por tortura, terrorismo, tráfico de drogas, além dos que cumprem pena por crimes hediondos.

Entenda o caso

Em agosto deste ano, quando já estava em regime aberto pelo mensalão, o ex-ministro José Dirceu foi preso na 17ª fase da Operação Lava-Jato por suspeitas de corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha no esquema de desvio de recursos da Petrobras. Ele permanece detido em Curitiba desde então.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) sustentou, em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), que o ex-ministro praticou os crimes da Lava-Jato pelo menos até dezembro de 2014, ou seja, depois da condenação do mensalão e da progressão para o regime aberto. O procurador-geral, Rodrigo Janot, pediu para Dirceu cumprir a pena em regime fechado.

O ministro do STF Luís Roberto Barroso decidiu esperar, em manifestação nesta semana, uma definição do juiz Sérgio Moro sobre condenação ou absolvição do ex-ministro na Lava-Jato. Moro é o responsável pelos processos em primeira instância.

Com informações do Estado de Minas

 



;

Links
Vídeo
SBC


Últimas Notícias



Em São Bernardo, roda de Capoeira é atração do fim no Riacho Grande


Pioneira na região metropolitana, São Bernardo lança biometria facial nos ônibus para gratuidades


Prefeito Orlando Morando vistoria obras de duplicação do viaduto Teresa Delta


Conta de luz subirá até 3,86% com reajuste de receita de hidrelétricas


Inscrições para Fies estão abertas a partir de hoje


MEC divulga resultado da segunda chamada do ProUni