Janot diz ao STF que Temer não pode ser investigado por fato anterior ao mandato


 

Politica - 31/03/2017 - 16:51:00

 

Janot diz ao STF que Temer não pode ser investigado por fato anterior ao mandato

 

Da Redação com Abr

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Procurador-geral da República, Rodrigo Janot

Procurador-geral da República, Rodrigo Janot


O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse hoje (31) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que não pode investigar as citações ao presidente Michel Temer no depoimento de delação premiada do ex-diretor da Transpetro, Sérgio Machado, na Operação Lava Jato. Segundo o procurador, Temer não pode ser investigado por fatos que supostamente teriam ocorrido antes de assumir o cargo.

Em um dos trechos dos depoimentos de delação, Machado citou um suposto encontro com Temer, em 2012, na Base Aérea de Brasília, onde o presidente teria dito que precisava de recursos para a campanha do candidato Gabriel Chalita (PMDB) à prefeitura de São Paulo. Na época, Temer era vice-presidente.

Após o pedido, o ex-diretor teria conseguido R$ 1,5 milhão junto a dois empreiteiros da Queiroz Galvão e fez o repasse ao diretório do PMDB. Segundo o delator, a quantia fazia parte de "comissão paga" por um contrato da empreiteira com a Transpetro, empresa subsidiária da Petrobras.

Na manifestação feita ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, a PGR argumenta que a Constituição garante ao presidente da República imunidade em relação a investigação de fatos que ocorreram antes de assumir o cargo.

"Significa que há impossibilidade de investigação do presidente da Republica, na vigência de seu mandato, sobre atos estranhos ao exercício de suas funções", disse Janot.

Procurada, a Presidência da República informou que não vai comentar o assunto.

 



;

Links
Vídeo
Turismo SBC


Últimas Notícias




Senado aprova voto distrital misto para eleição de deputados e vereadores


Novo modelo de certidão de nascimento permite inclusão de nome de padrasto


TRF4 nega absolvição sumária de Marisa Letícia e recurso de José Dirceu


Banco Mundial lança relatório que analisa a eficiência e equidade do gasto público no Brasil


Prazo para renovação de contratos do Fies é prorrogado para 30 de novembro


TSE lança canal no Twitter para tirar dúvidas do eleitor