Estados Unidos e Coreia do Sul iniciam manobras aéreas conjuntas


 

Internacional - 20/04/2017 - 09:14:23

 

Estados Unidos e Coreia do Sul iniciam manobras aéreas conjuntas

 

Da Redação com EFE

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Mais de 100 aviões de combate norte-americanos e sul-coreanos fazem um exercício de defesa aérea

Mais de 100 aviões de combate norte-americanos e sul-coreanos fazem um exercício de defesa aérea


Mais de 100 aviões de combate norte-americanos e sul-coreanos fazem um exercício de defesa aérea, informou nesta quinta-feira (20) a Força Aérea da Coreia do Sul, em plena escalada de tensão na península.

De acordo com a Agência EFE, o exercício Max Thunder, que começou na sexta-feira passada (14), embora seu início só tenha sido revelado hoje, vai durar duas semanas, terminando quase ao mesmo tempo que as manobras conjuntas de dois meses de terra, mar e ar Foal Eagle.

Cerca de 1.200 soldados também participam desse exercício anual, voltado a "constranger o inimigo" e projetado para "responder a qualquer forma de provocação em qualquer momento e lugar", segundo o tenente Won In-chul, da Força Aérea sul-coreana, em declarações divulgadas pela agência Yonhap.

Won acrescentou que essas manobras conjuntas são uma boa oportunidade para melhorar as habilidades táticas de ambos os países, indispensáveis para manter a segurança na península coreana.

Quase 300 mil soldados sul-coreanos fizeram parte de outras manobras conjuntas - Key Resolve e Foal Eagle - este ano, o que representa o maior trabalho até hoje de exercícios anuais. Para a Coreia do Norte, trata-se de um ensaio para invadir seu território.

 



;

Links
Vídeo
Turismo SBC


Últimas Notícias




Invasores do MTST conseguem mais 120 dias no terreno em São Bernardo


Show de Caetano aconteceu no Largo da Batata, em São Paulo, em apoio ao MTST


Clima natalino chega a São Bernardo com “Luz, Câmera, é Natal!”


Alerta contábil: notas fiscais terão nova validação em 2018


MTST ocupa Secretaria em SP por tempo indeterminado por causa da invasão em São Bernardo


Trump confirma que EUA reconhecem Jerusalém como capital de Israel