Acordo com a Suíça permite repatriação de US$ 1,5 milhão aos cofres brasileiros


 

Nacional - 30/06/2017 - 11:10:00

 

Acordo com a Suíça permite repatriação de US$ 1,5 milhão aos cofres brasileiros

Acordo com a Suíça permite repatriação de US$ 1,5 milhão aos cofres brasileiros

 

Da Redação com Abr

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Repatriação de milhões de dólares

Repatriação de milhões de dólares


Uma ação de cooperação com a Suíça permitiu a repatriação aos cofres públicos brasileiros de US$ 1,5 milhão recebidos de forma ilícita por um dos investigados na Operação Lava Jato, da Polícia Federal. A repatriação foi confirmada nesta semana.

O valor estava depositado em um banco suíço, em contas de empresas offshores controladas por João Carlos de Medeiros Ferraz, que fechou acordo de colaboração premiada em 2015. Segundo o Ministério da Justiça, o recurso foi obtido por meio de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Ferraz era ex-presidente da Sete Brasil, empresa criada pela Petrobras em 2010 para administrar sondas de exploração do pré-sal.

A cooperação com a Suíça também envolve o envio de documentos para os investigadores brasileiros.

O pedido de cooperação jurídica internacional para a repatriação foi feito em dezembro de 2016 pela Procuradoria da República no Paraná e encaminhado ao Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional, autoridade central brasileira para cooperação jurídica com a Suíça.

A Operação Lava Jato foi deflagrada em 2014 para investigar denúncias de desvios de dinheiro na Petrobras. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), a Lava Jato é a maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro feita no país. Estima-se que o volume de recursos desviados dos cofres da Petrobras esteja na casa dos bilhões de reais, segundo o MPF.

 



;

Links
Vídeo
Turismo SBC


Últimas Notícias



Cadastur: Mais de 70% dos meios de hospedagem do país estão irregulares


Alex Manente e PT juntos mais uma vez


PT e aliados de Luiz Marinho mostram as garras e assumem a frente da invasão


Lula e Gilberto Carvalho se tornam réus por corrupção passiva


MPF pede manutenção da prisão preventiva de Jacob Barata Filho


MTST ocupa portaria do Ministério da Fazenda em protesto contra ajuste fiscal