Alckmin propõe desligar a PF do Ministério da Justiça


 

Politica - 04/09/2006 - 10:05:47

 

Alckmin propõe desligar a PF do Ministério da Justiça

Alckmin propõe desligar a PF do Ministério da Justiça

 

Da Redação com Reuters

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 


O candidato do PSDB à presidência da República, Geraldo Alckmin, prometeu neste domingo criar o Ministério da Segurança e alterar a Lei de Execuções Penais se eleito. Na prática, isso desligaria a Polícia Federal do Ministério da Justiça. As propostas foram apresentadas após carreata realizada pelo candidato na cidade de Campinas, no interior de São Paulo, neste domingo. Antes de chegar à cidade, Alckmin foi recebido em Sorocaba (SP), onde também participou de carreata pelas ruas da cidade. A campanha do tucano chegou a agendar algumas vezes o anúncio de um pacote anticorrupção e propostas para a segurança pública, mas nada ainda foi divulgado. O candidato tem feitocomentários sobre segurança em entrevistas e no programa eleitoral gratuito na TV, mas sem a divulgação de propostas concretas. Com a criação do nova pasta, a Polícia Federal ficaria subordinada ao Ministério da Segurança. Alckmin chamou a Lei de Execuções Penais de "lei Lula" e disse que ela permite o aumento da criminalidade. Ele voltou a dizer que o combate à criminalidade é responsabilidade do governo federal. "Na Colômbia o crime migrou para a política. No Brasil está acontecendo o contrário," afirmou. Alckmin fica em São Paulo neste domingo e segue na segunda-feira para Goiás, onde participa de carreatas nas cidades de Gioânia e Jataí. ;

Links
.
.
Vídeo
Turismo SBC


Últimas Notícias



Nota do Enem é aceita para ingresso em 27 universidades de Portugal


Pesquisa mostra que 84% da população consideram o Brasil um país burocrático


Um em cada quatro jovens vai abandonar o ensino médio até o final do ano


Plenário rejeita medidas cautelares contra Aécio Neves e senador retoma mandato


STF determina que votação sobre afastamento de Aécio Neves será aberta


Reforma eleitoral abre espaço para propaganda paga em sites