Chávez diz que Lula vencerá no 1º turno


 

Politica - 04/09/2006 - 10:15:36

 

Chávez diz que Lula vencerá no 1º turno

 

Da Redação com Reuters

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 


O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, garantiu no domingo que seu colega brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, vencerá as próximas eleições presidenciais sem necessidade de um segundo turno. O governante venezuelano, que também vai tentar se reeleger em dezembro, se converteu em um forte aliado de Brasília desde à sua chegada ao poder, em 1999. "Ele (Lula) vai ganhar em 1º de outubro as eleições no Brasil, no primeiro turno, seguro que vai ganhar", disse Chávez, informando que o presidente brasileiro pediu para adiar a inauguração de uma ponte na Venezuela, marcado para o dia da eleição no Brasil, a fim de poder participar. O governo venezuelano prevê inaugurar em outubro uma segunda ponte sobre o rio Orinoco, construída pela brasileira Odebrecht. Lula lidera com ampla margem de vantagem as pesquisas para as eleições de outubro, que podem levá-lo a mais quatro anos à frente do governo brasileiro. A campanha eleitoral brasileira tem sido marcada por ataques da opsição a Lula, que responsabilizam o presidente pela corrupção existente no País e pela desaceleração da economia. Lula, que compartilha algumas idéias socialistas com Chávez, contempla em seu plano de governo reduzir taxas de juros, aumentar os investimentos públicos sem abandonar a disciplina fiscal, ampliar os programas sociais, aumentar o salário mínimo e reconstruir a indústria bélica local em coordenação com os vizinhos sul-americanos. ;

Links
.
.
Vídeo
Turismo SBC


Últimas Notícias




Câmara aprova decreto de intervenção no Rio de Janeiro


Vereadores petistas querem indenização da prefeitura de São Bernardo


MTST realiza discursos políticos contra reforma da Previdência em São Bernardo


MTST descumpre acordo e faz passeata em São Bernardo


Temer convoca Exército para intervir na segurança do Rio de Janeiro


Justiça manda Corinthians e Odebrecht devolverem R$ 400 milhões para a Caixa