-->


 

Nacional - 20/10/2017 - 18:30:32

 

Senacon investigará aéreas por dizer que bagagem cobrada baratearia passagens

 

Da Redação com Abr

Foto(s): Divulgação / Arquivo / Marcelo Camargo / Abr

 

Arthur Rollo, comandante da Senacon, durante fiscalização do caso das bagagens em ulho de 2017

Arthur Rollo, comandante da Senacon, durante fiscalização do caso das bagagens em ulho de 2017


O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor determinou hoje (20) a abertura de processo administrativo contra a Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear) e as empresas Avianca, Azul, GOL e Latam por causa de estimativa divulgada em setembro, segundo a qual haveria queda no preço das passagens após o início da cobrança pelo despacho de bagagem. O processo pode resultar, caso a condenação ocorra, em multa de até R$ 9,5 milhões.

O despacho informando sobre a abertura do processo administrativo foi publicado na edição desta sexta-feira (20) no Diário Oficial da União. A decisão se baseou em investigação preliminar, feita no início deste mês pelo departamento, que concluiu haver “indícios de infração”.

Em setembro, a Abear disse que, após a mudança nas regras de despacho de bagagem, houve queda de 7% a 30% no valor da passagem aérea. Pesquisas da Fundação Getulio Vargas (FGV) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no entanto, indicaram aumento no valor das passagens, entre junho e setembro, de respectivamente 35,9% e 16,9%. A cobrança para despacho de bagagem foi implantada em junho pelas companhias.

A investigação do órgão, que é vinculado à Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça, vai determinar se houve propaganda enganosa, repasse de informações falsas ao consumidor, omissão de informações relevantes e uso da fraqueza ou ignorância do consumidor.

Abear

Em nota, a Abear informou que soube da instauração do processo, mas que ainda não foi notificada. Segundo o texto, a associação demonstrará a correção dos números apresentados.

“A Abear está à disposição das autoridades e reitera que o objetivo das companhias aéreas é sempre tornar a aviação comercial brasileira mais acessível, por meio de tarifas mais justas para o consumidor", diz o comunicado.

Na segunda-feira (15), a Abear já havia lançado uma nota reafirmando os dados apresentados em setembro, “quando informou tendência de queda entre 7% e 30% nos valores dos bilhetes de suas associadas entre julho e setembro deste ano, em comparação com igual período de 2016”.

Segundo a a associação, o levantamento foi feito a partir de uma média da “amostra de tarifas efetivamente comercializadas, de acordo com a rota, os prazos fornecidos por cada empresa aérea e diferentes períodos de antecedência de compra”.

 



;

Links
Vídeo


Últimas Notícias



Sete em cada 10 brasileiros acreditam que mudanças climáticas são um problema tão sério quanto a Covid-19, mostra Ipsos


Íntegra do depoimento de Sérgio Moro na Polícia Federal


Com Cartão Merenda Escolar, São Bernardo vai oferecer auxílio-alimentação a 82 mil alunos


Autônomo pode baixar aplicativo a partir de hoje para renda de R$ 600


Código-fonte de verificador de assinaturas digitais está disponível para download diretamente no site do ITI


Especialista do mercado financeiro explica porque o coronavírus derrubou as bolsas de valores no Brasil