IR de 27,5% vale por mais dois anos

Economia de Água



 

Economia - 05/12/2003 - 10:25:12

 

IR de 27,5% vale por mais dois anos

 

Da Redação com agências

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Após mais de cinco horas de negociações, base aliada do Governo conseguiu aprovar, na Câmara dos Deputados, a prorrogação da alíquota mais alta do Imposto de Renda

Após mais de cinco horas de negociações, base aliada do Governo conseguiu aprovar, na Câmara dos Deputados, a prorrogação da alíquota mais alta do Imposto de Renda


Mesmo massacrado pelas críticas da oposição, o Governo usou ontem o seu rolo compressor e conseguiu aprovar, na Câmara dos Deputados, por votação simbólica, a prorrogação por mais dois anos da alíquota de 27,5% do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) sem dar nenhuma compensação aos contribuintes. O projeto agora seguirá para votação no Senado. O Governo pretendia aprovar a prorrogação por tempo indeterminado. Caso a aprovação seja confirmada no Senado, o Governo garantirá uma arrecadação extra de R$ 1,7 bilhão no próximo ano, quando a alíquota máxima do IR deveria cair para 25%. A alíquota de 27,5% vem sendo prorrogada sistematicamente desde novembro de 1997, quando o governo Fernando Henrique aprovou o Pacote 51. Na época, o aumento do IR também deveria vigorar apenas por dois anos. A base do Governo no Congresso vinha prometendo uma correção de 10% na tabela do imposto, mas recuou por pressão da equipe econômica e dos governadores que temiam perda de receita. O Governo precisa cobrir um buraco no orçamento de 2004 que chega a R$ 6,5 bilhões. “Estamos diante de uma extorsão, diante de um assalto. Não corrigir a tabela do imposto é extorquir da massa trabalhadora”, protestou o deputado José Carlos Aleluia (BA) líder do PFL na Câmara. Em quase seis horas de discussões, o Governo enfrentou apenas uma dificuldade no plenário e dentro da sua própria base. No meio da tarde, o PSB se rebelou e ameaçou votar contra o projeto caso a alíquota de 27,5% fosse prorrogada indefinidamente. Temendo o fracasso na votação, o líder do Governo na Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), depois de telefonar à área econômica concordou em prorrogar a alíquota por dois anos. O PSB queria a prorrogação apenas por um ano. Já a oposição acusou o Governo do PT de ter abandonado todo seu discurso do passado para votar um novo arrocho sobre a classe trabalhadora. Por diversas vezes o PFL e o PSDB tentaram adiar a votação, mas os requerimentos foram derrubados pela grande maioria governista. Depois de derrubar os requerimentos de adiamento das votações, o PT ainda conseguiu inverter a pauta do plenário para que o projeto do Governo fosse votado antes do relatório do tucano Antônio Cambraia (PSDB-CE), que previa a correção da tabela em 22,87%.Para tentar amenizar o custo político da prorrogação, o presidente da Câmara, João Paulo Cunha, agiu em nome do Governo e disse no meio da tarde que era a favor de uma tabela mais justa com mais faixas de desconto para tornar o imposto mais progressivo. Mas afirmou que, neste momento, não é possível fazer uma alteração mais profunda. ;

Após mais de cinco horas de negociações, base aliada do Governo conseguiu aprovar, na Câmara dos Deputados, a prorrogação da alíquota mais alta do Imposto de Renda

Após mais de cinco horas de negociações, base aliada do Governo conseguiu aprovar, na Câmara dos Deputados, a prorrogação da alíquota mais alta do Imposto de Renda

Após mais de cinco horas de negociações, base aliada do Governo conseguiu aprovar, na Câmara dos Deputados, a prorrogação da alíquota mais alta do Imposto de Renda

Após mais de cinco horas de negociações, base aliada do Governo conseguiu aprovar, na Câmara dos Deputados, a prorrogação da alíquota mais alta do Imposto de Renda

Links
.
.
Vídeo


Últimas Notícias



São Bernardo reduz em 29% o número de mortes no trânsito em setembro


Zoológico de São Bernardo ganha novo morador com nascimento de filhote de lontra


Prefeitura de São Bernardo antecipa aplicação da segunda dose da Pfizer em adultos


No Dia do Médico, Prefeitura destaca importância dos profissionais na pandemia


Familiares relatam a dor da perda entre as 600 mil vítimas da COVID-19


Consórcio ABC firma parceria para formação superior de agentes de segurança pública e privada