-->


 

Politica - 09/12/2005 - 11:13:54

 

CPI dos Correios: suposto desvio de fundos foi para o exterior

 

Da Redação com Terra

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 


A CPI dos Correios acredita que parte das perdas causadas aos fundos de pensão possa ter sido remetida para o exterior. Cerca de 50 dos 200 beneficiários das supostas perdas de R$ 729,2 milhões em fundos de empresas estatais são fundos de investimento de capital estrangeiro, segundo relatório preparado pela Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F). A área técnica que trabalha na investigação recebeu essas informações ontem em um CD. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o arquivo contém os nomes dos beneficiários das operações que teriam provocado perdas aos 14 fundos de pensão entre 2000 e 2005. A BM&F verificou que um quarto dos beneficiários dos lucros das operações são fundos de investimento de capital estrangeiro que atuam no mercado de valores no Brasil - ou seja, têm facilidade para remeter lucros para fora do País. O CD com os nomes dos beneficiários é oficial e foi preparado com os dados das 630 mil operações investigadas. A divulgação completa dessas informações deve ocorrer na semana que vem, depois que os dados forem analisados. Segundo a CPI dos Correios, o rombo total dos 14 fundos de pensão chegou a R$ 784,1 milhões no período investigado: R$ R$ 729,2 milhões com operações na BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros) e outros R$ 54,9 milhões com títulos públicos. Os nomes de beneficiários recebidos ontem se referem às operações no mercado futuro. ;

Links
.
.
Vídeo


Últimas Notícias



Variante do coronavírus descoberta na Índia preocupa o Brasil e o mundo


Saúde foi alertada 7 vezes sobre escassez de medicamentos para intubação


CPI da Covid: entenda o que STF garantiu a Pazuello e por que ele terá de ir à comissão mesmo assim


Hospital de Urgência de São Bernardo comemora 1º ano de funcionamento com média de 10 vidas salvas por dia


Covid: Médico pode ser processado se receitar tratamento ineficaz, alertam especialistas


CPI da Covid: executivo da Pfizer confirma que governo Bolsonaro ignorou ofertas de 70 milhões de doses de vacinas